pacto (ou pá!'qui tô)



vamos fazer assim:
eu fecho os olhos, conto até 7 e,
quando abri-los: cê aparece! assim, já nua ou com um vestido bem fácil de tirar...

e não é que eu tenha intenções sexuais...
eu tenho, mas, penso primeiro – e quase inteiramente
– em um abraço que seja realmente nosso, sabe? pele na pele, alma na alma...

nossas auras brincando de arco-íris... 

imagina... hoje à noite... a gente se perder... a lua se apagar... 

...e algo se acender dentro da gente 

vem, vai?! corre pro primeiro parque de diversões que imaginar
e me encontra ali, na montanha-russa!
eu prometo algodões doces
e maçãs do amor...

imagina!

hoje à noite... a gente no parque... na roda-gigante...
a lua se apaga... as luzinhas coloridas todas se apagam... a roda pára de rodar...

a terra pára de rodar:

imagina a gente ali... lá em cima... meio terra e meio lua...
nossas auras brincando de arco-íris
pele na pele, alma na alma

algo se acender...

uma lâmpada; um gênio; um tapete voador!  
vem! vamos morar nas mil e uma noites... eu, você,
alguns cd's do chet baker e muitas, muitas garrafas de vinho...

imagina! passar uma eternidade toda por lá...
eu lhe fazendo sonetos de 13 versos
cê me fazendo cafuné...

vem, vamos! vamos colher sonecas nas tardes vermelhas de outono  
e passear pelo centro nos finais de terça.
vamos vasculhar os sebos todos
à procura de caetanos,
chicos e vinicius...

até garantirmos as trilhas da faxina do sábado
do chá da madrugada de amanhã
e do café na cama
do domingo...

vamos, vai! até termos panos pras mangas no pé
até termos pés, para as valsas na varanda

até as mãos para o alto,

até as unhas
e os dentes


vamos!

até as pernas, para que te quero!

...imagina a gente de perna de pau! virar cambalhota
plantar bananeira... dar salto mortal...
imagina a gente fugindo
com o circo!

venha! vamos fugir com o circo!
eu serei o palhaço e você... bem, você...
por favor! apenas não seja a trapezista, eu lhe peço...
se não vamos ter que nos casar e... pode ser que o nosso amor não aguente...

mas: seja, quem sabe, a mulher-bala!
...isso! a mulher-bala! que tal?

imagina! toda noite você se perder... lá no meu trailer-camarim...

sim, vem! vamos nos perder pelo mundo! conhecer a ásia menor!
alugar uma kitnet no caribe por uns tempos!
vamos arranjar passagens
baratas pra paris!

caçar caçadores na tanzânia...

vamos incentivar os canadenses a terem mais filhos!

ei! vamos ter um filho! um não; dois! um menino e uma menina!
ele pode se chamar joão sereno! e ela...
ah! ela vai se chamar
maria flor!

vamos nos engravidar do joão à noitinha, num edredom estendido no jardim!
e da maria, de dia! lá naquele campo secreto de girassóis!
joão pode ser de aquário! maria, de peixes!

daí vamos os quatro navegar até fiji!

é... teremos que fazer outro barquinho... maior e tal
...mas, vamos! e logo nas primeiras férias!

vamos estar sempre de férias!

esteja de férias já!

e vem... vem pra fecharmos os olhos juntos!
contarmos até 7 e, quando abrirmos:

estarmos nós, nas nossas  bicicletas... a sua vermelha,
com cestinha! e minha, azul...
cor-de-fusca!

e assim vamos pedalar por aquela estradinha cheia de curvas –
onde quase nunca passa carro... descê-la sem as mãos
e, deixando que o vento de lá se lembre da
gente, vamos chegar até aquela

casinha...

onde brincávamos...

juntos! lembra? escondíamos ali todos
os nossos baús de tesouro!

lembra?

lá onde, depois, fizemos aquele monumento
em homenagem ao nosso primeiro
primeiro beijo, lembra?

no meio daquele jogo as nossas mãos se sobrepuseram:

mão na mão, olhos nos olhos; lábios nos lábios...
não houve tempo, nem jeito, pras línguas

mas, algo se acendia dentro de nós


alma na alma...

nossas auras brincavam de arco-íris  
 
naquele tempo, nós nem sabíamos o que era isso: “aura”
e talvez por isso mesmo, tínhamos muito
mais facilidade para vê-las

as cores dançavam... dentro e fora de nós...

...lembro de quando a tia célia nos contou da  aurora boreal
   e eu entendi, exatamente, o que ela era:
   um beijo na noite; do sol

   e de como fui suspenso pouco tempo depois,  quando
   lhe levei àquela feira de ciências e,
   na hora de apresentar
   meu projeto –

   que era uma maquete de aurora boreal –
   ...beijei-lhe na frente de
   todo o mundo!

   estávamos orgulhosos! porque... naquela altura...  já havia até língua na língua!
...
e assim fomos... vindo! e veio a vez das outras coisas nas outras coisas...
e as bicicletas viraram motonetas e metrôs
e a tia célia  virou uma pra
cada matéria

e muitas matérias pra cada semestre...
e tantas outras coisas mais,
pra cada outro
tanto e
...

as velinhas também foram aumentando, nesse meio tempo...
eu já tô com 26 e você... quantos anos
você tem mesmo?

é que... na verdade... eu... eu ainda não lhe conheço... né?

mas imagino... imagino a gente... sempre...
nossas auras brincando de arco-íris
alma na alma, pele na pele

nós em nós

e algo se acender
nós... nus... nos ascendermos...

...vem! vem logo! que já temos que morrer juntos, daqui a uns cem anos

imagina! a gente consumando as nossas últimas intenções sexuais dessa vida
num último abraço que seja realmente nosso, sabe? rugas nas rugas

e... por isso, no dia da nossa morte, venha nua...
ou com um vestido fácil de tirar...

como hoje... ... ...
 
1... 2... 
3...




.

20 comentários:

  1. Belas palavras, de ler sem respirar como disse o rapaz acima, de ler sem parar... Belo sentir.

    o/

    ResponderExcluir
  2. estrela indecifrável: aceita uma bala? sabor preferido: café.

    ResponderExcluir
  3. Ai Rafa..........vc.....e as sutilezas.....
    adoro demais!
    Mi GGU

    ResponderExcluir
  4. Já comprei o meu vestido...rs

    ResponderExcluir
  5. Quando meu querido? Agora? Adorável, especialmente na roda gigante: ...meio terra, meio lua. Acho essa é a descrição do que sente quem ama...meio terra, meio lua. Sigo-te

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ei, mallu!
      já! sempre!

      ...gratidões de cá, querida! sigamo-nos... meio terra, meio lua ; )

      Excluir
  6. adorei ... carinhoso, amável e sonhandor, texto bom para mulheres, lindo de ver esses sentimentos nas palavras de um homem !

    ResponderExcluir
  7. E no quesito 'top 10' eis q temos a 'n°1'...
    amei, gravei, copiei, decorei!!

    ResponderExcluir
  8. Maravilha, mar a vi ilha. Onde viver é esquecer todo o além a)mar

    ResponderExcluir
  9. sutileza das palavras e reconhecimento no sentimento. Bonito mesmo. Se tocar um reggae no tapete, eu voo alto!

    ResponderExcluir
  10. Muito bom, caro Rafa!
    Eu sai do face, segue meu contato para nossas trocas poeticas e musicais: diego_delega@hotmail.com

    Leia "Shangrilá", meu preferido. Está no blog!

    Abração!

    ResponderExcluir
  11. Das coisas mais bonitas que já alguma vez li!

    Ainda bem que a minha irmã me mostrou esta preciosidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pois,

      gratidões muitas de cá, moça!

      ...ainda bem! que de partilha em partilha
      vamos nos a(com)chegando lá!
      carinho daqui pra você
      e pra irmã, rita!

      viva!

      Excluir

graças pela partilha!

licença creative commons
este trabalho de rafa carvalho, foi licenciado com uma licença creative commons - atribuição - não comercial - compartilha igual 3.0 não adaptada.