voalá!


(asas pra bem-lhe-quer)
à menina mulher que vi tristinha


menina,
quê é que lhe deu
que se entristeceu assim?

e quê lhe dizer? a si, menina
vir a se entristecer assim

resposta vai pr'além de mim

também: quem mandou crescer assim
mulher
?

e quem mandou dizer que sim
à poesia

que assim já nem há colher de chá

a poeta faz dieta de apatia
em engravidar seus dias
de hojes sem fim

e
seja
pra já:

a anemia vá pra lá de si

também: quem mandou crescer assim
menina
!

tem em si a sina da tristeza
e a cima a manta da franqueza
a agasalhar-lhe a alma de nudez

tem a maciez da bochecha da criança
raspada na aspereza da terra oca
desumanizada de esperança

lôca!

é, tem também a sina da loucura
a menina de malícia pura
na clausura de se ser
mulher
...

mulher
e assim
quer amar. e quer-se amada
mas esse amar às vezes vem pr'aquém de quem se quer 

nós, sós, sóis

(ou)
loucos
poucos

[tao] tal e tais

mas

ó
(hocus
pocus) 

fica feliz!

= )

que a tristeza é coisa de poeta
mas só por um triz

= /

e atriz
cá entre nós
a alegria é uma questão de já

; )

então
- um!
tó! pegue seu balão
- dois!!
afrouxe o nó do coração
- três!!!

e:
.
.
.

2 comentários:

  1. Poetas... insatisfação permanente. Sina. Presente? Diluir o tanto da tristeza em doses pequeninas do cada dia. Assim: amor sem fim.

    ResponderExcluir

graças pela partilha!

licença creative commons
este trabalho de rafa carvalho, foi licenciado com uma licença creative commons - atribuição - não comercial - compartilha igual 3.0 não adaptada.