at lære

.
.
Era uma vez, numa tribo muito, muito distante...

Onde se encontrava esse estranho instrumento de sopro. Esse homem, que o demonstrava, quando requestado a tocá-lo, disse ser impossível. Houve então a pergunta: impossível como?

O homem, paciente, compartilhou que, aquele instrumento, solo, não poderia soar todos os tons... Era preciso unir dois ou mais daqueles, para aí sim, com as escalas se complementando, haver música...

A música só seria inteira quando partilhada... ... ...


...


Na língua dinamarquesa, o verbo at lære traduz o verbo aprender... e o verbo ensinar...
Não há diferença. A ação é a mesma.


Ensinar... Aprender... Partilhar... Com-viver...

Seja na língua que for, alguém consegue degustar qualquer diferença?



... eu, de cá, vou degustando todas as línguas que posso... e me deliciando com essa rara indiferença...
.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

graças pela partilha!

licença creative commons
este trabalho de rafa carvalho, foi licenciado com uma licença creative commons - atribuição - não comercial - compartilha igual 3.0 não adaptada.