Poema Ruim

.
.
.
amo Jobim e o poeta Vinicius
mas malditos sejam por jogarem fora


os seus sambas ruins


eu quero que o mundo reconheça
meu lado mais desafinado


que sem ele sou confinado
à metade desse inteiro mim


ser humano é ser assim
bebe-se whisky e água benta


e que se entenda aqui termos dois rins


é que há o belo no feio, no erro, no defeito
no dia “não”, além do dia “sim”



e, afinal, esse acaba sendo o jeito

        de criar asas no verso do peito



e viver serafim
.
.
.
.


5 comentários:

  1. Opa, valeu pela visita no blog!

    "ser humano é ser assim
    bebe-se whisky e água benta
    e que se entenda aqui termos dois rins"

    falou e disse!

    ResponderExcluir
  2. dois rins... um pra sorver o céu, outro pra sorver o inferno

    ResponderExcluir
  3. é que no fim, o seu poema não foi ruim!

    ResponderExcluir
  4. Ser humano é mostrar-se partes e nunca inteiro...

    ResponderExcluir
  5. Amora, amada Amora! Inevitavelmente esse quebra-cabeça vai se resolvendo. Até que anjos voemos...

    ResponderExcluir

graças pela partilha!

licença creative commons
este trabalho de rafa carvalho, foi licenciado com uma licença creative commons - atribuição - não comercial - compartilha igual 3.0 não adaptada.